• Diego Souza

Sem Carne: a meditação me fez virar vegetariano

Eu estou convencido que conforme a sociedade vai expandindo a consciência e evoluindo espiritualmente, o consumo de carne vai se diminuindo naturalmente. Comigo foi assim. Eu comecei a meditar e, por sorte, tive uma amiga que me mostrou as infinitas possibilidades da gastronomia vegetariana. A junção destes dois acontecimentos fizeram com que eu parasse de consumir carne. Na verdade, em pouco tempo comecei a enxergar a carne de outra maneira: como um pedaço de cadáver.


Parece meio exagerado falar assim, mas é o que começou a acontecer. Resignifiquei em minha mente a carne. Até hoje é assim. Confesso que quando vejo alguém postando uma foto de churrasco (e se exaltando por isso) fico meio perturbado com a imagem. Realmente é um ser ali. É um animal em decomposição. Não haveria motivos para se comemorar. Se brindar este “canibalismo cultural”.



Bolinho de feijão crocante com shimeji orgânico


Fui pesquisar a relação da meditação e do vegetarianismo. Para minha surpresa, encontrei o mestre Osho falando sobre isso.

"Meus discípulos são vegetarianos não como um culto, não como uma crença, mas porque suas meditações os tornam mais humanos, mais do coração, e eles podem perceber toda a estupidez que é matar seres sensíveis para comer. É a sensibilidade deles, a consciência estética que os tornam vegetarianos. Não ensino o vegetarianismo, pois ele é um sub-produto da meditação. Sempre que a meditação aconteceu, as pessoas se tornaram vegetarianas, sempre, por milhares de anos."


Eu acho que a alimentação sem carne ainda não é mais popular porque as pessoas realmente não sabem pelo que substituir. Não estão habituadas. Não foram ensinadas. Fica realmente difícil você trocar um hábito alimentar de anos, porque algo que você desconhece. Se instinto de sobrevivência vai falar mais alto. Mas é uma questão de tempo até a gastronomia vegetariana se popularizar ainda mais.


Recaídas e vontades absurdas de comer algum derivado animal podem acontecer. E se você sentir no coração que deve, faça. Não se culpe. Definitivamente, ninguém tem nada a ver com isso. Experimente e deixe que o seu corpo te diga como foi essa experiência. Nas minhas recaídas, sempre me senti muito pesado depois (fisicamente e energeticamente). Acabou se tornando um reforço positivo para eu continuar no vegetarianismo.


Outro ponto importante de ser frisado é a paz, que deve reinar entre as pessoas que reduziram a carne. Veganos não são superiores a vegetarianos, que também não são superiores aos carnívoros. Não trata-se de uma competição para ver quem é mais evoluído. É uma batalha individual. Cada um se responsabiliza (fisicamente e espiritualmente) por aquilo que ingere. Vamos nos apoiar. Vamos nos incentivar. Afinal de contas, o vegetarianismo não deve ser encarado como um desafio árduo. E sim, como algo saboroso e saudável que vai trazer qualidade de vida para todos (inclusive os animais).


Para ler texto completo do Osho, falando sobre vegetarianismo clique aqui


19 visualizações